Prontos-Socorros

Seguem abaixo os endereços dos Prontos-Socorros Públicos na Cidade de São Paulo e que possuem atendimento médico psiquiátrico 24 horas, esses serviços devem ser procurados em casos de urgência ou emergência psiquiátricas apenas:

 

PRONTO SOCORRO DA SANTA CASA DE SÃO PAULO
Rua Dr. Cesário Mota Jr. 112 – Vila Buarque
Tel 2176-7000
HOSPITAL SÃO PAULO – UNIFESP
Rua Napoleão de Barros, 715 – CEP: 04024-002
Vila Clementino, São Paulo – SP. Tel. 5576-4522
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL
Vergueiro – HSPM – Hospital do Servidor Público Municipal:
Rua Castro Alves, 60 – Aclimação – São Paulo/SP
Pronto Socorro Municipal 21 de Junho
End.: Av. João Paulo I nº 421 – Freguesia do Ó
Telefone: 3975-5866
Pronto Socorro Municipal Prof. João Catarin Mezomo – Lapa
End.: Av. Queiróz Filho nº 313 – Lapa
Telefone: 3022-4278
Hospital Municipal Dr. José Soares Hungria – Pirituba
End.: Rua Menotti Laudísio nº 100 – Pirituba
Telefone: 3397-1900
Hospital Municipal Tide Setúbal – São Miguel
End.: Rua Guilherme Eiras nº 123 – São Miguel
Telefone: 2297-0022
Hospital Municipal Arthur Ribeiro de Saboya – Jabaquara
End.: Av. Francisco de Paula Quintanilha Ribeiro nº 860 – Jabaquara
Telefone: 5013-5300
Hospital Municipal Dr. Fernando Mauro Pires da Rocha – Campo Limpo
End.: Estrada de Itapecerica nº 1661 – Vila Maracanã
Telefone: 3396-1000
Anúncios

Tratamentos

O tratamento de Transtornos Psiquiátricos deve ser realizado de maneira integral, sendo em geral recomendado conjuntamente com as medicações, o atendimento em psicoterapia. Diversos estudos demonstram que esse atendimento multiprofissional tem maiores chances de obter a remissão do quadro e para evitar o retorno dos sintomas posteriormente

Calmantes

São em geral as medicações conhecidas como de “tarja preta”; em geral medicações de uso controlado que são da classe dos benzodiazepínicos, medicações que são destinadas a diminuir a ansiedade durante crises ansiosas e que  devem ser tomadas sempre com acompanhamento, pois podem causar dependência química, com prejuízo da memória e do sono, caso haja abuso. Quando usadas adequadamente e sob supervisão são excelentes medicações.

Antidepressivo

São medicamentos destinados a tratar de quadros depressivos, como o próprio nome diz, e quadros de ansiedade também. Por isso não é necessariamente indicado apenas para a depressão. Existem diversas medicações dessa classe, sendo que a escolha de uma medicação em especial deve ser feita pelo psiquiatra que através da entrevista terá condições de escolher a melhor medicação para cada caso

Medicamentos

Entre o arsenal terapêutico disponível para a saúde mental encontram-se as medicações psiquiátricas, que quando usadas corretamente, auxiliam na remissão mais rápida dos quadros psiquiátricos. Atualmente encontra-se disponível uma grande gama de medicações, indicadas para as mais diversas condições. De modo geral elas podem ser classificadas como:

-antidepressivos
-antipsicóticos
-benzodiazepínicos
-estabilizadores de humor

Psicoterapias

Atualmente existem diversos tipos de psicoterapias disponíveis, sendo que todas elas tem o intuito de promover que a pessoas consigam entender os conflitos que levaram a ela a apresentar os sintomas psiquiátricos. Tanto a escolha por um tipo de psicoterapia em especial quanto a escolha do profissional é uma atitude subjetiva e que deve levar em conta a empatia e os objetivos do momento do paciente

Transtorno Afetivo Bipolar

Nos quadros de Transtornos Afetivos Bipolares há uma alternância importante e fora do normal no humor do paciente.  Essa alternância em dois pólos opostos e de forma muito intensa entre episódios depressivos e maníacos é o que caracteriza esse transtorno.

No pólo maníaco (que configura um episódio de mania) há uma situação que é inversa do quadro depressivo. Nela, ao invés da pessoa se isolar do mundo como ocorre na depressão, ela passa a sentir-se com muita energia, uma disposição acima do normal, com diminuição importante do seu sono e com uma sensação de que é muito importante, sente de modo equivocado que pode possuir muita riqueza, que pode inclusive nos quadros mais graves evoluir para verdadeiros delírios de grandeza.

Nessas situações em geral é necessário o uso de medicamentos estabilizadores de humor ( vide medicamentos).

Esquizofrenia

Os quadros de Esquizofrenia são responsáveis por grande sofrimento tanto para os pacientes quanto aos seus familiares.

Nesses quadros existe uma alteração da percepção da realidade pelos pacientes, que podem, à partir dessa percepção equivocada, agir de modo muitas vezes incongruente e desorganizado. Em outras vezes há o surgimento de uma crença delirante aonde muitas vezes o paciente sente que é alvo de uma conspiração aonde outras pessoas querem prejudicá-lo.

É muito importante que os familiares compreendam esses momentos de crise aguda pelos quais o paciente está passando. Em algumas dessas situações de crise pode ser necessária a internação psiquiátrica para que o quadro seja compensado.

Via de regra o uso de medicamentos antipsicóticos (vide medicamentos) faz se necessário.

Depressão

Entre os transtornos mentais, a Depressão é atualmente uma das causas mais importantes de prejuízo na vida de um indivíduo.

Ela é a segunda causa responsável por afastamento laborativo segundo a OMS.

 Dentre os sintomas desse quadro encontram-se:
Anedonia: a pessoa deixa de sentir prazer em atividades que antigamente lhe davam satisfação, passa a ficar isolada e sem motivação.
Alteração do sono: pode se manifestar com uma sonolência excessiva ou insônia importante, em geral a pessoa passa a noite ruminando pensamentos críticos referentes a uma baixa autoestima.
Idéias de menos valia: a pessoa passa a sentir-se desvalorizada, passa a achar que a vida não tem sentido e que ninguém se importa com ela. Nessa situação ela pode inclusive pensar em suicídio.